julho 16, 2020 3 translation missing: pt-BR.blogs.article.read_time 0 Comentários

Conheça  Marcelo Batista, skatista amador do time  Diamond Brasil.

Qual foi seu primeiro contato com o skate? E quando começou a andar?
Meu primeiro contato com o skate foi quando eu estudava perto de um ginásio (Geraldão), sempre que eu saia da escola dava uma passada por lá e ficava olhando a galera andando... Sempre pedia a eles o skate emprestado para tentar andar, com isso fui pegando gosto pelo skate, três skatistas locais que estavam lá todo dia me ajudaram muito (André, Zé e peixe) graças a eles eu comecei a andar e estou aí até hoje!

 

Quando foi que você começou a ter esse contato maior e despertou o interesse de se jogar e viver do skate?
Desde que comecei a andar sempre quis viajar, filmar e participar de campeonatos... Com isso fui buscando cada vez mais evoluir, lembro que o Og de Souza me falou uma vez... Se você quer viver disso, se joga!

 

Pensando nas referências que você tinha quando começou a andar e as que tem nos dias de hoje. Quais seriam as principais?
Minhas maiores referências são meus amigos que estão sempre andando comigo, trocando uma ideia ou dando algumas risadas, quando eu estava começando a andar conheci o Og de Souza, ele andando inspira qualquer um, e comigo não foi diferente... Ele é inspiração desde sempre... Nos dias de hoje me inspiro bastante no Tiago Lemos, o jeito que ele anda é surreal!

 

O que você considera a maior característica do seu role?
Cara, não sei responder essa kkkk, mas o que algumas pessoas dizem que é um role “agressivo” por andar em gap, corrimão e também curto andar rápido, talvez seja essa a resposta “agressivo”.

 

Para um skatista das ruas qual foi o impacto da quarentena nesses últimos meses?
Sem dúvidas essa quarentena foi um impacto grande para todos, sinceramente não aguento mais ficar em casa, mas é necessário por um bem maior... Espero que essa fase passe logo e podemos voltar para as ruas!

 

Qual a principal mudança para você hoje fazendo parte do time  Diamond Brasil?
Entrar pra Diamond foi um sonho realizado, uma marca como a Diamond tem um conceito grande no skate, e é sempre bom ter uma marca por trás para ajudar nas viagens, nos materias ou até mesmo em alguma conversa, antes eu não tinha isso... Era muito difícil fazer as coisas, hoje sou muito grato e feliz por fazer parte desse time!

 

Como um atleta que veio de Recife, ficou um tempo no Rio de Janeiro e hoje vive em São Paulo. Em sua opinião quais as principais características do cenário nas três cidades?
Em Recife que é minha cidade natal a cena do skate é bem fraca, não tem videomakers, fotógrafos são poucos... As marcas também não são grandes, difícil crescer no skate morando lá, por isso optei por sair....
A cena do Rio já é bem melhor... vários makers, fotógrafos, vários eventos, sem falar dos spots...
A de São Paulo pra mim é a melhor cena de skate do Brasil, toda semana tem première, tem gente na rua filmando por todos os lados, vários eventos, as marcas investem no skate !

 

Você tatuou a frase “Vai dar certo”. Fale um pouco sobre isso e a fase da vida em que a fez.
“Vai dar certo” é uma frase que tem bastante poder para mim, sempre que eu estava frustrado, triste, pensava que não podia desistir que um dia iria dar certo, fiz essa tatuagem porque sempre que olho pra ela tenho forças para continuar fazendo o que amo mesmo quando as coisas estão difíceis.

 

Muitas coisas já deram certo de lá para cá? O que o motiva a continuar tentando mesmo quando as coisas parecem dar errado?
Sim, muitas coisas vem dando certo na minha vida, só tenho agradecer a todos que vem correndo junto comigo, quando as coisas estão dando errado eu continuo fazendo minha parte acreditando que as coisas vão melhorar e vai dar certo!

 

Deixe uma mensagem de incentivo e conselho para as pessoas que têm o objetivo de viver de seu sonho.
Você que quer viver do seu sonho corra atrás, ele não vai cair do céu , vá atrás sem medo... Se der errado e você não conseguir o que queria, ao menos você tentou e nunca saberia a resposta se não tivesse tentado, sempre faça o bem que as coisas vão acontecer e acredite “vai dar certo”!

inscreva-se